Postagens populares

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Dicas para quem vai começar (Helis elétricos RC)

Afinidade
Entre os modelos aero radiocontrolados os Helicópteros são de longe os que mais chamam atenção em um primeiro momento, o que desperta em muitos o interesse em adentrar ao mundo do R/C porem não querendo desanimar já digo que de longe a curva de aprendizado em helicopteros é mais difícil que pilotar aviões R/C, dessa forma a experiência anterior pode não auxiliar muito, já que algumas coisas terão que ser reaprendidas. Portanto a primeira dica antes de investir dinheiro em compra de equipamentos é que você vá a um local de voo de helimodelistas e se possível tenha uma aula com um instrutor experiente para que você sinta ao vivo se o seu real interesse corresponde a adrenalina que é pilotar um maquina totalmente instável que você tem que ficar 110% do tempo corrigindo para não cair.
Prepare o bolso
Diferente de por exemplo uma asa Zagi que pode sofrer varias quedas mas continua voando sem problemas, nos helis uma queda custa muito e leva tempo para montar e ajustar tudo de novo, esteja preparado, todos caem uma hora ou outra por isso a ênfase em facilidades de encontrar peças de reposição aqui no Brasil ao mencionar os equipamentos recomendados.
O que comprar??
Antes de entrar em detalhes, vamos dividir as classes de helis disponíveis a venda hoje no mercado (Brasil e eBay);
2 canais – micros
Nessa classe encaixa-se o PiccoZ e o Gyrotor da Silverlit que pesam 9 e 35gramas respectivamente, tem-se controle subida e descida e esquerda e direita, para fazer com que va para a frente coloca-se um peso no nariz. São febre no exterior e são vendidos aqui, após acostumar-se com o delay do controle dá para se divertir num dia chuvoso na sala de casa;
2 canais – ML
São vendidos no Mercado Livre e no centro de São Paulo por cerca de 100 reais e nas lojas Americanas por 199,00, são até bonitos mas quando tenta-se voar com um deles parece um pião girando sem controle, fora que as pecas de reposição inexistem para venda;

2 e 3 canais – ML – Coaxial
Multirotores caracterizam-se por serem compostos de dois conjuntos de rotores principais rodando um em sentido inverso ao outro anulando o torque e dessa forma não necessitam do rotor de cauda, também são vendido no ML, com a promessa de serem mais estáveis, mas tem os mesmos problemas que o de rotor convencional citado acima;

4 canais – passo fixo
Encaixam nessa classe os DragonFly da GWS os honeyBee FP (passo fixo), os Blade FP, são helis que possuem todos os comandos necessários, subida descida, cíclico esquerda e direita, cíclico frente e atras e leme direita e esquerda, voam razoavelmente bem sem nenhum vento, tem razoável oferta de peças de reposição no Brasil, e se estiverem bem ajustados podem ser uma boa opção para treino, porem a maioria deles possuem um motor de cauda que tem a durabilidade pequena;

4 canais – Coaxial
Nessa classe temos o Blade CX CX2 o Lama V3 e V4, Vortex, Big Lama, são mais estáveis que os de 4 canais convencionais, pois o movimento contrario dos rotores anula a necessidade do rotor de cauda, o hover é mais estável e pode-se começar a ter noções de dirigibilidade espacial com ele sem ter muito compromisso financeiro, apenas deve-se ter o cuidado de utilizar as baterias com um tempo pré-determinado de vôo um um alarme de lipo para que não use as baterias ate o talo, o que acaba inutilizando-as;

6 canais – classe 200
Gaui 200, trex 250, são capazes de vôos 3Ds, mas devido ao seu tamanho sofrem com ventos moderados

6 canais – classe 300
Compy 300, Honey Bee CP, Blade CP, Hornet CP, são capazes de vôos 3Ds, porem podem necessitar de upgrades

6 canais – classe 400
Trex 450, Walkera 36 22e 60 62, Mini Titan E325(mini Raptor), Zoom 400, 3DX400. Nessa classe temos o Trex450 e o seu clone CopterX que tem a maior disponibilidade de peças de reposição no Brasil, bem como inúmeras lojas virtuais no exterior. É o que tem o maior numero de usuários no Brasil também, para não deixar de comentar os Walkera estão surgindo em boa quantidade, devido ao preço, mas há que se pesar que a eletrônica embarcada deixa a desejar.

Acima de 6 canais – classe 500
Eolo Spirit, Raptor e550, Hurricane e550, Trex500, são helis entre 1 a 2kilos de peso de vôo, que começam a ganhar mercado no exterior pela facilidade de voar com “apenas” 2 baterias de 3S em serie.

Acima de 6 canais – classe 600 acima
Trex 600, Raptor e620, IonX. Estes são os maiores helis elétricos disponíveis em serie a venda. Sendo que o Trex 600 já existe a venda no Brasil em algumas lojas, a que se pesar o preço das baterias que em um primeiro momento torna o custo alto;

Helicópteros elétricos no Mercado Livre
Muita gente pergunta no forum se vale a pena comprar no mercado livre kits completos prontos para voar (RTF), na maioria dos casos são produtos de baixa qualidade e alguns nem estão no Brasil, o vendedor apenas esta intermediando a transação de uma loja da China para você, e quem arca com os impostos sobre o produto será o comprador. Porem podem existir situações que um hobbista esta precisando de dinheiro e esta vendendo equipamentos, tal como um trex + mais controle e etc..

Somente vendo fotos do helicóptero pela internet não é possível ter idéia da qualidade das peças. Já vi um helicóptero RTF Walkera sair da caixa com os canais do receptor invertidos, o Transmissor com mau contato nos dip-switchs de configuração, e servo danificado.
Ver http://www.manorc.com.br/inicial_radio.htm#walkera

Mixagem CCPM, HDE, CDE?
Basicamente é a disposição de como os servos atuam na bailarina, HDE é mais fácil de configurar do que CDE (CCPM), no HDE cada um dos três servos atua de forma separada para as funções de aileron, profundor e pitch, já na mixagem CDE (CCPM) eles atuam em conjunto para as mesmas funções, dessa forma ao dar comando de aileron um dos servos sobe e outro desce, para dar o comando de pitch positivo, todos eles sobem ao mesmo tempo.

tipos de pas


O material das pás influencia sim no vôo, e bastante.

As pás de plástico são muito moles, com isso não consegue transferir o comando para o rotor adequadamente. É como se você tivesse um amortecedor, você dá o comando mais o plástico flexiona e amortece, além de envergar muito.
Em compensação, aguentam um pouquinho melhor as raladinhas que ocorrem.

As de madeira são as melhores para iniciantes, na minha opinião. São mais baratas mas possuem uma rigidez muito boa, então não há tanto problema com essas flexões.

As de fibra de vidro mesmo, as boas, possuem uma resistencia parecida com as de carbono, rígidas e aguentam uma boa rotação, entretanto não vi pás boas para 450, só encontrei/testei para o 600.

As pás de fibra de carbono são mais rígidas, flexionam muito pouco e por isso conseguem transferir o comando muito melhor. São recomendadas para 3D puro pois são as únicas que realmente aguentam as trocas de passos e as forças envolvidas. Além disso, elas são as que realmente resistem a rotações maiores que 3000RPM nos 450, as outras devem funcionar baixo dessa faixa, sempre.

O tamanho influencia na sustentação do heli, uma pá maior gera mais sustentação, uma menor, menos.
Não adiantar colocar uma pá maior sem dimensionar corretamente o motor, é como colocar um reboque num carro, o motor tem que aguentar.
Idem para uma menor, de repente não consegue nem subir com o heli.


Helis acrobaticos
Muita gente fica tentada em um primeiro momento (eu fui um deles) a comprar Helis de 6 canais CCPM que pode voar de dorso, acrobático, com cabeçote de alumínio e tudo mais, não caia nessa, o melhor nesse caso é comprar um 4 canais passo fixo, ou melhor ainda um coaxial de 4 canais.

A sugestão para compra de equipamentos após decidir que ira adentrar no mundo dos helicópteros elétricos é (na ordem a seguir, se não tiver condições de comprar tudo de uma vez e sempre colocando primeiro a opção mais econômica) e sempre levando em conta a disponibilidade de peças na realidade Brasil:

- Radio que tenha programação para Heli, por exemplo o DX7 da Spektrum ou mesmo o DX6i que tem uma relação custo-beneficio ótima, alem do mais você pode usar para pilotar teus aviões também, sempre em Modo 2, ou seja, aceleracao na mao esquerda;
- Simulador para PC que tenha cabo adequado para o radio, assim você não precisa necessariamente comprar um heli, basta ter o radio e um bom simulador para começar. Uma boa opção gratuita é o FMS que pode ser baixado na internet, existem outros como o Realflight G2 e G3, Aerofly Pro Deluxe Reflex XTR e o Phoenix;
- um bom conjunto de ferramentas composto por chaves allen de 1mm ate 4mm, chaves de fenda e philips de 3 tamanhos, chaves de fenda e philips de relojoeiro;
- multímetro, conta-giros, watt-meter, termômetro, são opcionais, mas no processo de ajuste do heli, são de uma ajuda inestimável para identificar problemas;


Segurança em primeiro lugar

As hélices do rotor principal de um helicóptero radio controlado podem matar, não é brincadeira, a rotação do rotor principal gira entre 1700 a 2500 RPM, que faz com que a velocidade na ponta da hélice alcance 130km/h!! em um TREX600 que tem pás de 600mm essa velocidade chega a mais de 200Km/h. Portanto certifique-se que no local escolhido para ajustes e treino não haja pessoas e animais no raio de ação do helicóptero;
tenha sempre por habito realizar o pre-check de voo e apos o voo verifique tudo novamente;
Certifique-se sempre antes de ligar se todos os links e parafusos estão devidamente encaixados/apertados para que não soltem em voo e atinjam alguém;
Sempre verifique a sua freqüência;
Sempre ligue o TX antes de ligar o Heli;
Faça um teste de alcance;
Nunca ajuste parâmetros de motor ou troque de modelo no TX com o heli ligado;
Nunca tente ajustar o tracking das pás principais perto do rosto;
Após uma queda, deixe a bateria isolada por meia hora;
Após uma queda troque as hélices principais, mesmo que estejam visualmente boas;


Iniciando

Ok, você chegou ate aqui, treinou MUITO no simulador comprou um kit ou um RTF, montou e esta pronto para ligar, mas antes de um pulo a um local de vôo e veja com o pessoal como esta a configuração e se esta tudo certo antes de mais nada. Se possível veja com o instrutor a possibilidade dele realizar um hover do seu heli para checar se esta ok e proceder a trimagem se necessário.

Você não tem ninguém próximo a auxiliar? Então a calma deve ser redobrada, monte um X de treinamento com espetos de bambu ou varas de fibra de vidro com bolas de isopor ou ping pong nas pontas, e amarre ao trem de pouso, coloque a cauda virada para você e comece a acelerar, ao acelerar a tendência natural do heli é que ele vá para a esquerda devido ao vórtice do rotor de cauda, acelere mais um pouco ate que ele saia do chão e corrija a tendência dele, tente no começo subir 30 cm e pousar, faça isso diversas vezes ate sentir segurança e permanecer no ar por mais tempo.


Hover

O hover tem que estar bem definido antes de partir para outra fase de vôo tal como curvas 8 e círculos. Portanto pratique, pratique e pratique somente dessa forma você terá condições de sair de uma situação em que precise frear no ar e estabilizar ele antes de prosseguir.

Hover de frente

Após estar BEM consolidado o hover com a cauda virada para você chegou a hora de vira-lo de frente, a dica é, com ele virado de frente de comando para o lado que ele estiver caindo, isso é bem fácil de ver no simulador. Treine bastante no simulador antes de tentar no real, e tente fazer em uma altura o suficiente para que você consiga recuperar se algo sair errado.


Curvas

Para fazer as curvas o Heli precisa ter comando de cíclico de esquerda/direita(aileron) em conjunto com o leme, pois se você estiver indo para a frente e quiser fazer a curva para a esquerda e de somente leme para que a cauda va para a direita a tendência natural do rotor principal e começar a cair também para a direita, ai você “capota” ele no ar, ao fazer a curva também tem que dar comando de aileron para a esquerda para compensar. Treine bem antes no simulador e anteveja o que será feito após efetuar a curva, não é raro ver pessoas que fazem a curva e não sabem o que vira depois, deixam ele vindo em sua direção e surpreendidas dão comando errado e acabam caindo.

8

Para a seqüência de 8 as curvas direitas e esquerdas tem que já estar bem consolidades, caso contrario, o risco de se perder é alto o que acaba ocasionando varias quedas.


TREX versus Walkera versus Outros
Ultimamente esta sendo como discutir os sexos dos anjos, sempre acaba em discussão, a única ressalva a ser feita basicamente se resume a eletrônica que não é confiável, sempre compre de marcas reconhecidas tais como Futaba, JR, Spektrum, Hitec, Multiplex, Airtronics para não ter maiores decepções futuras.

Para sempre se lembrar, segue as recomendações do Antonio:

1 - Procurem ouvir as pessoas mais experientes.

2 - Utilize de verdade o simulador que você realmente vai aprender a voar, Simulador não é um joguinho!!!

3 - Se você vai ter ajuda de alguem para apender a voar, primeiro veja se a pessoa sabe realmente voar, e quando eu digo voar não é ficar abanando o helicópero de um lado para o outro, é fazer um 8 de frente para os dois lados, fazer um 8 de cauda para os dois lados e no mínimo um dorso de frente e de cauda.

4 - Não tente ficar hoverando no seu quarto, ou na sala pra mostrar pra familia, existe 1% de chance de conseguir, e 99% de chance de quebrar o heli e ainda acabar se machucando ou machucar alguem.

5 - Cuidado com o Mercado Livre, ha algumas semanas apareceu um rapaz la na pista com um Heli que ele comprou no Mercado Livre, galera, deu dó, não dava pra aproveitar nada do Heli, isso porque o rapaz se não estou enganado gastou R$ 1.500,00 reais num Heli que diziam estar pronto pra voar.

6 - Antes de comprar um Heli usado peça para o dono do mesmo fazer um voo, (ficar só hoverando até o Pico Z faz) e se possível tente levar o Heli para alguem mais experiente dar uma olhada.

7 - Tenha sempre na cabeça que segurança deve vir em primeiro lugar, Helicóptero não é um mero brinquedo, pricipalmente pra quem voa helicóptero Glow.

8 - Faça aulas de pilotágem, mas antes de fazer a aula, treine no simulador senão vc nao aproveita a aula.

9 - Fazer aulas economiza dinheiro!!!, pra quem tem um Trex por exemplo com um pequeno tombo, você poderia ter feito no mínimo mais de 10 aulas com um instrutor, pra quem tem Glow, um tombo são mais de 25 aulas que vc poderia ter feito. O que vc prefere investir no aprendizado ou em peças de reposição?

10 - O que se gasta com uma queda de um Helicóptero Glow dava pra ter comprado o simulador.


Fonte: E-voo                 Autor: William Okamura

4 comentários:

Charles disse...

nao entendo nada de heli mas sempre quis ter um. comprei no mercado livre (Helicóptero R/c Walkera Dragonfly De 4 Canais usado) agora que li isso fiquei com medo de tomar um calote e ter gastado com algo inútil.
alguem sabe me dizer se tem algum lugar para praticar perto de piratini RS.gostaria da ajuda de alguem mais esperiente.obrigado.

Frank disse...

Ja faz algum tempo que voo em aeromodelos e agora quero migrar para o helimodelismo, fiquei apaixonado pelo helimodelismo, mais para o voo escala. comprei recetemente um t-rex450se v2 usado. inicialmente comecei pelo simulador, tava ate me dando bem, coloquei vento no simulador e a coisa ficou um pouco dificil, ontem anoite tentei subir um pouco com meu heli a uns 30 cm do chao e pairar, ate que deu certo, mais na segunda tentativa ele deu uma virada pra direita e foi ao chao, nao sei se foi uma corrente de vento. quando vejo nos videos dos voos da mito parece ser mais facil. pergunta. existe um video tipo receita de bolo pra quem ta começando que ensine a montagem das helices, ajustes etc?

Frank disse...

esqueci de mensionar! achei o blog muito bem feito e bem humorado! parabens!

Alberto Studart disse...

Obrigado pelo comentário. Frank, o que deve ter acontecido para o heli ter dado esta virada de cauda certamente foi DEDO, um V2 apesar de ser um modelo já considerado antigão tem um gyro eletrônico que travaria esta cauda, então foi dedo mesmo, rsrsrs, disponha sempre